15 maio 2014

Guia de Bolso "Segurança no Combate a Incêndios Florestais"

O CNOS, Comando Nacional de Operações de Socorro da ANPC, concebeu um Guia de Bolso "Segurança no Combate a Incêndios Florestais", que resume algumas das lições aprendidas com a experiência de 2013, sintetizando os principais procedimentos a ter em conta pelos operacionais no que toca à sua segurança nos teatros de operações, enunciando os principais riscos, responsabilidades, situações de perigo, normas de segurança e protocolos de verificação.

A edição, com uma tiragem de 35.000 exemplares e um formato de bolso, foi já distribuída aos bombeiros voluntários dos distritos de Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real, devendo chegar até ao final do mês a todos os bombeiros portugueses, integrantes do GIPS e AFOCELCA, abrangendo não apenas os elementos integrantes do DECIF – Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais 2014, mas o universo total dos operacionais com a missão de combate aos incêndios florestais em Portugal continental.

Aceda ao Guia de Bolso "Segurança no Combate a Incêndios Florestais" no link a seguir:

Guia_bolso_Seguranca_Combate_Incendios_Florestais_web.pdf


24 fevereiro 2014

Manual Operacional dos Centros de Operações dos Comandos Operacionais da ANPC


Intervenientes: OPTEL CDOS, OPTEL CB.

Procedimento: Inserção e acompanhamento do processo de inserção automático de ocorrência no SADO pela apl icação IFFIRE.

15 janeiro 2014

Salvamento e Desencarceramento –Truques e Dicas

Cada vez mais nos dias que correm se fala em formação, e falta dela, nos Corpos de Bombeiros.

Como tal, compete a todos, divulgar e ajudar a apromizar cada vez mais a Formação quanto às formas de actuar de cada um.

Os truques e dicas, disponiveis online no site Boron Extrication, são um exemplo desse aperfeiçoamento e rapidez na forma de actuar.

Não deixes também de fazer o Download do Manual de Truques e Dicas da Weber Rescue AQUI

Extrication_Tips_and_Tricks_Weber_Rescue_SpreaderExtrication_Tips_and_Tricks_Weber_Rescue_Spreader_AngleWeber_Rescue_Dash_Extricationweber_rescue_extrication_tipps_Tricksweber_rescue_extrication_tipps_Tricks-pedalWeber_Rescue_Systems_Tips-and-Tricks_ExtricationWeber_Rescue_Vehcile_Extrication_Rescue_TipsWeber_Rescue_Vehcile_Extrication_Rescue_Tips_FirefighterWeber_Rescue_Vehcile_Extrication_Rescue_Tips_Firefighter_Ram_Side_BlowoutWeber_Rescue_Vehcile_Extrication_Rescue_Tips_Firefighter_SpreaderWeber_Rescue_Vehcile_Extrication_Rescue_Tips_Roof_Trench

24 junho 2013

Cartografia de Risco - Mapa de perigosidade de Incêndio Florestal

Avaliação da perigosidade de incêndio florestal - mapa

Em Portugal continental os prejuízos elevados resultantes da destruição de edificado e de vastas áreas de povoamentos florestais dos quais as populações retiram rendimentos, justifica a necessidade de se avaliar a perigosidade de incêndio florestal.

A utilização de variáveis com forte relação espacial para elaboração de um mapa de suscetibilidade e respetivas curvas de sucesso e de predição, com recurso a validação independente, permitem avaliar a perigosidade para todo o país, com base probabilística associada a cenários.

Com um compromisso eficaz entre o número de variáveis e a capacidade preditiva é possível avaliar com objectividade a perigosidade de incêndio florestal (vulgarmente conhecida como "risco de incêndio").

Instrumentos de Apoio Operacional

O Sistema de Gestão de Operações (SGO) é uma forma de organização operacional que se desenvolve numa configuração modular, de acordo com a importância e o tipo de ocorrência, aplicando-se sempre que uma força de qualquer Agente de Proteção Civil (APC) ou Instituição com especial dever de cooperação seja acionada para uma ocorrência, em que o chefe da primeira equipa a chegar ao local assume de imediato o comando da operação – função de Comandante das Operações de Socorro (COS) - e garante a construção de um sistema evolutivo de comando e controlo adequado à situação em curso;

A decisão do desenvolvimento da organização é da responsabilidade do COS, que a deve tomar sempre que os meios disponíveis na intervenção inicial e respetivos reforços se mostrem insuficientes, ou quando a previsão do potencial dano o exigir ou aconselhar.

O comando das operações deve ter em conta a adequação técnica dos agentes presentes no teatro de operações e a sua competência legal.

Foram desenvolvidos pela ANPC, com o intuito de facilitar a operacionalização do SGO, um conjunto de ferramentas de comando e controlo, composto por guias de comando, quadros, painéis e documentos que, sem prejuízo da utilização das tecnologias de informação e comunicação, garantem, em qualquer circunstância ou lugar, o registo e partilha da informação, e, consequentemente, o controlo efetivo das operações de proteção e socorro, independentemente da sua tipologia;
» Controle

Controle Ponto Trânsito
Pdf | 140 Kb

» Fase I

» Fase II

SITAC Fase II.pdf
Pdf | 166Kb

» Fase III e IV
Mod OP 4 Danos.pdf
Pdf | 115Kb
Mod OP 3 POSIT.pdf
Pdf | 128Kb
Mod L 4 PEA.pdf
Pdf | 267Kb


por ANPC